Não viva adiando a semeadura

devocional

“Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas” (Eclesiastes 11.6).

Deus criou as plantas e as sementes, verdadeiras cápsulas de vida e poder. Em cada uma delas encontra-se o DNA, como fórmula de perpetuação das espécies. Depois foi criado o homem, a quem foi dada a liberdade e a responsabilidade de plantar e colher o que for necessário ao seu sustento. Embora seja possível encontrar o fruto que a natureza produz por si mesma, não é aconselhável que se dependa de tal casualidade. Ninguém deve esperar que Deus faça tudo. Ao criar as sementes, Ele fez o que não poderíamos ter feito. Agora, devemos escolher aquelas que queremos semear. A escolha é nossa; o trabalho é nosso.

Após a semeadura, não devemos pensar que tudo está determinado e que todos os grãos serão produtivos. Não tenhamos uma fé irresponsável e sem fundamento. No contexto desta vida terrena, desconfie de um tipo de fé que dispensa o trabalho. Ambos precisam funcionar juntos. Não sejamos triunfalistas, pensando que tudo dará sempre certo e da melhor maneira possível. Pode ser que alguma semente morra e não produza. Fracassos acontecem, seja por conta dos nossos erros, da má qualidade da semente ou do solo inadequado (Mt 13). Sobretudo precisamos estar atentos ao tempo.

“Pela manhã semeia a tua semente.” Não viva adiando a semeadura. Seja perseverante no cuidado com a lavoura, pois existe uma distância entre plantar e colher. “À tarde não retires a tua mão.” Não desista facilmente. Não devemos crer na frutificação automática e predeterminada. Sabemos porém que, com a bênção de Deus, nosso esforço será recompensado com uma colheita abundante.

Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar:

Share on facebook
Facebook 0
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também

Sejam movidos por íntima compaixão

Quando Paulo escreveu aos gregos de Corinto, ele estava consciente acerca do contexto filosófico de seus destinatários. Tendo avançado da mitologia à