O Senhor pode fazer maravilhas com simplicidade

devocional

O capítulo 9 do livro de Atos nos mostra como Saulo, o grande perseguidor da Igreja, começou a ser perseguido e ameaçado de morte após a sua conversão (At 9.22-25). Sua experiência é um grande exemplo da transformação que Deus faz naqueles que são salvos por Jesus. “Em Damasco, o que governava sob o rei Aretas guardava a cidade dos damascenos, para me prender; mas por uma janela desceram-me num cesto, muralha abaixo; e assim escapei das suas mãos (2 Coríntios 11.32-33). Paulo foi cercado pelos inimigos, e não eram pessoas quaisquer, mas, sim, as autoridades públicas de Damasco, capital da Síria. O que ele poderia fazer?

A cidade era rodeada por uma muralha, e os guardas armados se posicionaram junto às portas. Seria só uma questão de tempo para que capturassem o apóstolo. O que ele poderia fazer? Paulo não estava sozinho, mas na companhia dos irmãos. O que fariam? Uma revolta? Usar a força física? Lançar mão das armas? Poderiam orar, e talvez tenham feito isso, mas era importante uma iniciativa prática. Era preciso agir rapidamente. Não poderiam simplesmente ficar inertes, esperando uma intervenção celestial, embora isso também pudesse acontecer.

O que fizeram? Colocaram Paulo num cesto, que, amarrado com cordas, foi baixado pela janela da muralha.
Se as portas estão bloqueadas, Deus mostra uma janela. Se existem armas contra nós, Deus providencia um cesto. Veja como a sabedoria vence as armas e a prudência vence a maldade.

É verdade que os servos de Deus nem sempre são livres de grandes ameaças, mas isso acontecerá enquanto Deus ainda tiver um propósito para as nossas vidas aqui na terra. Deus usa um cesto, assim como ocorreu na história de Moisés. Quanta simplicidade! Com coisas aparentemente insignificantes, o Senhor pode fazer maravilhas.

Também é importante notar que Paulo não estava sozinho. Os irmãos o ajudaram a descer. É sempre bom ter alguém que nos ajuda, segurando as cordas. Que Deus abençoe e recompense àqueles que nos ajudam de várias maneiras. Deus poderia fazer um milagre e derrubar as muralhas, como fizera em Jericó, mas permitiu que Paulo dependesse dos irmãos, com os quais criou forte vínculo. Aquele que quis matar os crentes de Damasco acabou sendo salvo por eles.

É quando o inimigo ataca que os verdadeiros amigos se manifestam. Finalmente, é preciso coragem para sair pela janela e entrar no cesto. É preciso humildade para fugir, sabendo quando não é hora de enfrentar. Que Deus nos ajude. Oremos para que Ele nos mostre a saída, quando dela necessitarmos.

Gostou deste artigo? Não esqueça de compartilhar:

Share on facebook
Facebook 0
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Veja também

O amor é atitude

Depois de escrever a respeito dos heróis da fé, o autor da carta aos Hebreus disse: “Portanto nós também, que estamos rodeados